Siga!

Coberturas

A volta do Festival Contato!

12ª Edição do evento marca a retomada das atividades no circuito cultural do interior de São Paulo

  No sábado, dia 27 de novembro, São Carlos, interior de São Paulo matou a saudade do Festival Contato!  O evento, que já faz parte do circuito da cidade, trouxe ao público um pouco da sensação gostosa de se agruparem para curtir coletivamente, claro, seguindo as recomendações e exigências dada a pandemia. 

  O festival multimídia já é tradicional na memória da cidade e da região e representa para muitos a oportunidade de estar em contato com novos projetos e artistas emergentes, conhecer novidades e tendências da música. Tendo como característica ainda as atividades descentralizadas pela cidade que incluem teatro, cinema, circuitos gastronômicos e feiras de economia solidária, o evento conta com apresentações musicais gratuitas de artistas de diversas regiões do país, do continente e do mundo, tendo trazido para a cidade figuras como Tulipa Ruiz (Brasil), Francisco el hombre (Brasil),  Ana Tijoux (Chile), Bomba Estéreo (Colômbia) e Big Bang (Noruega).
Na sua 12ª edição com o tema “todo dia é novo”, inspirado na música Nebulosa de Giovani Cidreira, o festival rolou do dia 21 ao 28 com diversas atividades pela cidade. No dia 27 a galera pode curtir apresentações de: Vini Maues @vinimaues , Eddu Porto  @edduporto , Bebé  @bebesalvengo , Giovani Cidreira @giovanicridreira , Bivolt @bivolt e Tuyo @oituyo.

   Nas palavras da rapper são-carlense Sara Donato @saradonato016 que foi mestra de cerimônias do festival, o show de @vinimaues foi a “abertura dos caminhos do festival”. Natural de Americana-SP, Vini começou seu trajeto como compositor autoral em São Carlos-SP, onde suas músicas já ressoavam antes do lançamento de seu primeiro EP “Vini Maués”, lançado nas plataformas virtuais no ano de 2020, com sonoridades que passeiam entre a nova mpb, indie rock e jazz. Acompanhado de @bruna.zip no baixo, @willmazzini no sax e no oboé e @giobogas na bateria, as letras diretas e sensíveis reconciliaram o público com as saudades, as despedidas e a retomada.

 

Paulo Arruda @luz_vermelha

   Em seguida rolou um show com Eddu Porto em sua primeira apresentação presencial como cantor. O multi-instrumentista e produtor cultural já tem longa trajetória na música autoral, seja como baterista da banda de música eletrônica ATR ou como agente e sócio-fundador da @agencialetsgig , ele já tá há anos na ativa , mas foi durante o período do isolamento que todos puderam escutar sua voz e suas composições. Referências de brasilidades embaladas nas experimentações de sintetizadores entregam letras de auto-reflexão e uma busca sincera por um momento para respirar. Acompanhado da banda composta pela baixista @luatransversal , a guitarrista @lemichelecordeiro e o baterista @felipegallii, o show ainda contou com a participação especial de @liozinhadagalera @lalay.lalay.lalay da banda @oituyo e a alegria de estar em contato era palpável.

 

Renata Prado @a.renataprado

Com o primeiro show presencial do álbum “Bebé”, que carrega o nome da artista, a cantora de Piracicaba-SP emocionou com a doçura da voz e a presença de palco impactante! O álbum que foi lançado em Julho deste ano parte das suas heranças no jazz, traz um pouco de R&B e uma pegada de indie pop. Suas músicas nos levam aos saltos entre realidade e sonho, contradições externas e internas e reflexões pontuais sobre sensibilidades cotidianas. Bebé é uma das novas apostas da música brasileira e seu trabalho tem ecoado cada vez mais no cenário artístico.

 

Renata Prado @a.renataprado

 

   Uma das grandes esperas do público do festival era o artista Giovani Cidreira, dono de uma voz incrível e um compositor no mínimo impactante. A atmosfera melancólica de suas músicas nos convidam a reflexões profundas sobre as relações cotidianas e a sensibilidade do sentir, do estar e do partir. @giovanicidreira é dono de uma poética única, que sincronizada a elementos eletrônicos, brasilidades, musicalidade negra e experimentação sonora geram uma experiência incrível! O show, parte do que é o “Nebulosa Baby”, um conjunto que inclui álbum, websérie e filme,  emocionou o público que gritou celebrando a vida.

 

Renata Prado @a.renataprado

Em sequência a Giovani Cidreira rolou show com a artista Bivolt!  A rapper paulistana é a primeira mulher a integrar o elenco de rappers da Som Livre. Com a pandemia e a interrupção das atividades durante o lançamento de seu primeiro álbum “Bivolt”, a artista retorna aos palcos depois de lançar “Nitro”, seu último trabalho, e pôde apresentá-lo pela primeira vez ao público do Festival Contato, no dia de seu aniversário!  Com uma proposta que transita entre o Rap, o Soul e R&B a artista animou a plateia e fez todo mundo sonhar com um recomeço através de sua performance enérgica!

Paulo Arruda @luz_vermelha

Voltando de Las Vegas depois da indicação ao Grammy Latino de 2021 na categoria ‘Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa’, a banda @oituyo, composta por @machaaado e pelas irmãs @liozinhadagalera @lalay.lalay.lalay fechou o @festivalcontato com chave de ouro! Com presença de palco marcante e a delicadeza nas letras e na sonoridade, a banda emocionou com canções dos dois volumes de seu álbum “Chegamos Sozinhos em Casa”, junto a trabalhos anteriores como a música “Solamento”, que as irmãs Soares cantaram acompanhadas apenas da voz do público, confirmando que não tem como não se apaixonar por esse trio paranaense e deixando a sensação de um abraço a cada um dos que estavam ali presentes.

Paulo Arruda @luz_vermelha

   Durante os shows do Festival Contato a Dj Anazu @dj.anazu e a Vj Ani Haze @anihaze marcaram presença e finalizaram as apresentações do dia 27.
  A Lara Sorbille @lara_sorbille correspondente do  @latinese_  junto à cinegrafista Camila Vital @camilavital colaram e bateram um papo com os artistas e com a produtora Fernanda Martucci @fermartucci, uma das responsáveis pela realização do evento. 
  O retorno do Festival Contato foi muito esperado, tanto pelo público quanto por artistas, e representa o retorno gradativo do circuito cultural para além da capital do estado . Após tanta espera,  as pessoas puderam enfim sentir-se pertencentes e estar em contato com quem se identificam! Diante do isolamento social que intensificou tanto as individualidades e a solidão, entende-se cada vez mais a necessidade de eventos como esse, que sejam diversos e acessíveis, dentro das medidas de segurança necessárias e promovendo a socialização e o entretenimento de maneira criativa e efetiva.

Por: Vinícius Castro e Lara Sorbille

Continue lendo:

FESTIVAL MAGNÓLIA

Leia também:

FIMS 2021

Escrito por

Mediador Cultural e gestor da iniciativa LATINESE. Pesquisa, escuta, produz e escreve sobre música. Percorre a América Latina através de descobertas sonoras e múltiplas expressões artísticas!

Comente!

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA MAIS

DJ Tudo celebra a cultura brasileira e as manifestações populares em show no SESC Vila Mariana

Editorial

Festival Dialéticas Afro-Musicais celebra a herança bantu na formação da identidade brasileira no dia 04 de junho

Novidade

Marina Melo e Naná Rizinni lançam primeiro remix do EP “Canções de amor para itens descartáveis”

Editorial

Ópera CAFÉ, de Felipe Senna, estreia no Theatro Municipal de São Paulo nesta Terça (3)

Novidade

S.O.M. — Sistema Operacional da Música — Desenvolvido por Mídia NINJA, Fora do Eixo e Hacker Space.

Connect