Siga!

Lançamento

BK’ reflete sobre a soberania das metrópoles no EP Cidade do Pecado

Artista discorre sobre atalhos perigosos da vida urbana em disco com cinco músicas inéditas

BK' por Wallace Domingues

Qual o seu maior pecado? Essa é a pergunta que guia o rapper BK’ ao longo do EP Cidade do Pecado. Com cinco faixas, ele aborda como as metrópoles são soberanas aos indivíduos, trazendo as situações mais nuas e cruas possíveis a respeito dos efeitos que elas causam nas pessoas. “Eu quis mostrar um outro lado do rolé, a forma que ele afeta nosso psicológico, sem glamourizar a violência, a putaria ou a ostentação”, reflete o carioca. O trabalho chega hoje, 1 de dezembro, pelo selo Gigantes, lançado pelo cantor em maio deste ano.

A faixa-título “Cidade do Pecado” abre a sequência da tracklist. Criada depois de um encontro entre amigos, ela é resultado da constatação sobre a ampla influência do capitalismo em induzir ambições. “Eu vejo o EP com muito foco no desejo e nas formas como você se perde na vida urbana, no que se deixa levar por ela e em como, ao tentar existir, você deixa de existir”, explica BK’. Uma conversa sobre as cicatrizes que carregamos e como isso nos afeta é o roteiro de “Não Preciso Que Você Duvide”, segunda música apresentada. “Vivendo intensamente a cidade do pecado e os traumas, muitas pessoas passam a ter medo de se relacionar com outras. Elas começam a ficar na defensiva sobre os seus próprios sentimentos e acabam ferindo quem amam”, pontua. 

BK’ por Wallace Domingues

BK’ se une ao rapper Nochica e a MC Marcelly, em “Último Baile Antes Da Guerra”, para narrar a história de uma pessoa envolvida com o crime que vive intensamente e sem perspectivas do amanhã. Dando continuidade ao EP, Paraíso Que Me Cerca” conta com a participação da cantora cabo-verdiana Mayra Andrade. A canção chega como um respiro, versando sobre como, apesar dos conflitos, queremos ver algo além do sofrimento. “São aqueles cinco minutos pra descansar e pensar na vida”, brinca BK’.

Responsável por encerrar o trabalho, E Se Eu Morrer traz niLL e retorna à temática da vida no crime, mas, agora, sob uma nova perspectiva: o personagem se reconhece como parte do movimento. “Na Cidade do Pecado uns se libertam outros não. A gente passa a ter ciência de como vivemos, mas acabamos voltando pro ponto de partida. Às vezes por prazer, às vezes por não conseguir sair, no fim, a Cidade do Pecado se torna um looping eterno”, finaliza o artista.

Entre as inspirações sonoras que guiaram o rapper na produção deste EP, Marcelo D2 se destaca pela originalidade que conseguiu trazer quando incorporou o samba ao seu som. Na procura da batida perfeita, BK’ se juntou com JXNV$, produtor musical com quem já colaborou em trabalhos anteriores, para alcançar um resultado que caminhe entre o funk brasileiro e o afrobeat. 

Cidade do Pecado sucede o disco O Líder em Movimento, lançado em 2020. O artista já tem datas marcadas no Rio de Janeiro para apresentar os dois trabalhos – pela primeira vez – ao vivo. O show de lançamento do EP acontece nos dias 10, 11 e 12 de dezembro, no Circo Voador.

 

 

Escrito por

Comente!

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA MAIS

Propondo uma antropofagia pop ancestral, Victor Kinjo apresenta álbum ‘Terráqueos’

Lançamento

Transflorestar – Ato I: Iara Rennó nos convida a existir a partir da ótica do sentir

Coluna

Ópera CAFÉ, de Felipe Senna, estreia no Theatro Municipal de São Paulo nesta Terça (3)

Novidade

CONHEÇA KAMATOS

Entrevista

S.O.M. — Sistema Operacional da Música — Desenvolvido por Mídia NINJA, Fora do Eixo e Hacker Space.

Connect