Siga!

Indica

Yoùn: a blackmusic vai invadir o mainstream

Gian Pedro e Alisson Jazz, artistas que dão nome ao duo Yoùn, se conectam perfeitamente e conseguem de forma harmônica produzir canções apaixonantes.

É admirável quando nos deparamos com artistas que, através da música, se conectam perfeitamente e conseguem de forma harmônica produzir canções que não passam despercebidas. Gian Pedro e Alisson Jazz, artistas que dão nome ao duo Yoùn, são um exemplo dessa raridade.

Nascidos e criados na Baixada Fluminense do Rio de Janeiro, ambos cresceram em famílias em que a música sempre esteve muito presente no cotidiano, o que exerceu forte influência sobre suas vidas e os fez se interessarem pelo meio. 

A dupla se conheceu em tempos de escola, trocando ideias em horários de aulas que nem sempre frequentavam. Nos intervalos, dividiam não só o fone de ouvido, mas também gostos muito parecidos, portanto foram se entendendo cada vez mais a partir da música, passando a se descobrirem musicalmente juntos.

Perceberam, por fim, que somavam um ao outro. Não à toa, o nome do duo, Yoùn, é uma palavra da língua crioula que significa “um só”, exemplificando muito bem a relação de amizade e conexão entre os dois. 

 

O primeiro clipe de Yoùn, Meu Grande Amor, lançado há pouco mais de um ano, já alcança mais de 900 mil visualizações. 

“O que é que eu quero?

Que as pessoas sintam

Quando ouvem a minha música tá ligado

Não é só ouvir, é sentir alguma coisa

E eu tipo to sentindo daqui gravando, tá ligado”

Em Só Love, o clipe assume uma vibe retrô enquanto Gian e Alisson circulam por lugares do Rio de Janeiro que remetem à história da dupla. E Gian está certo porque Só Love, assim como todas as outras, provocam inúmeras sensações.

Muita correria rolou até chegarem onde estão. No começo, faziam apresentações nas estações de trem da linha Japeri, entre Nova Iguaçu e Central do Brasil, numa tentativa de fazer música para sobreviver e, quem sabe, render bons frutos. Um momento digno que eles consideram como um fase de grande importância na carreira que andam construindo, apesar de não ter sido uma tarefa simples. Espalhando suas vozes e arranjos musicais pelos transportes públicos do Rio de Janeiro, eles reconheciam o próprio sucesso na reação positiva dos passageiros. A capacidade de se entenderam musicalmente e produzirem música boa em conjunto é admirável. Mas a fama veio como uma consequência natural, nem mesmo eles esperavam.

Gian e Alisson passaram a chamar atenção do público carioca em diversos lugares, tanto na Baixada, quanto na Zona Sul. Num meio musical ainda extremamente elitista e branco, a dupla vem conquistando seu espaço, valorizando a cultura negra e misturando influências musicais do R&B, jazz, soul e rap em temáticas preferencialmente românticas. Suas músicas apresentam arranjos muito bem executados e vozes potentes que sabem muito bem o que faz. Nos clipes de Yoùn, pode-se notar sempre o enaltecimento da beleza negra, apresentando produções de audiovisual com bastante representatividade que, há poucos anos atrás, raramente tínhamos o prazer de assistir.

 

Em Nova York, terceiro clipe, protagonizado pelo ator Ramon Francisco, Yoùn apresenta uma produção sensível e verdadeira sobre a correria de um jovem preto e periférico.

Estrelado pelos artistas Monique Corrêa e Jeff, Se foi é o clipe mais atual do duo que merece destaque pela sua produção, em que cantam sobre idas e vindas.

É necessário se queixar sobre a falta de oportunidades que jovens de regiões marginalizadas do Rio de Janeiro e de tantas outras cidades sofrem, lugares onde inúmeros artistas lutam diariamente para buscar reconhecimento e relevância. Em entrevista a UNIFASE, no Youtube, a dupla disse que um dos maiores sonhos dos dois é viver bem. Um desejo simples, mas que parece muito distante para inúmeros jovens negros espalhados pelo Brasil. Alisson e Gian estão conquistando merecidamente esse sonho. Chegará o momento em que poderão conquistar frutos ainda maiores através da música e assim conquistar o amor e o espaço que por tanto tempo foi e, infelizmente, ainda é negado à tantos outros. 

Gian e Alisson sempre respiraram música e agora também se alimentam dela. Alcançando cada vez mais reconhecimento e públicos diversos, os dois buscam se aperfeiçoar, produzindo músicas primorosas e assim se fortalecendo no meio. Diretamente da Baixada Fluminense para o mundo, Yoùn é talento e estilo puro, donos de vozes apaixonantes, assim como suas músicas, eles não querem passar despercebidos. Felizmente, a cada produção lançada eles comprovam que merecem destaque.

 

Dividido em 3 episódios, está disponível no Youtube um documentário, dirigido pelo diretor brasiliense Gabriel Pinheiro, revelando histórias e vivências de Alisson Jazz e Gian Pedro na Baixada Fluminense do Rio de Janeiro, desde o incio da carreira musical da dupla até sua ascensão no segmento R&B no último ano.

Escrito por

Estudante de Publicidade, escritor e leitor nas horas vagas. Apaixonado por música brasileira. Criador do projeto @musicadaqui.

Comente!

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA MAIS

Melly Melly

MELLY: A NOVA VOZ DO R&B SOTEROPOLITANO

Entrevista

GIO "Nebulosa Baby" GIO "Nebulosa Baby"

GIO PROVOCA NOVO ENTENDIMENTO SOBRE ARTE EM “NEBULOSA BABY”

Entrevista

Karol Conká Karol Conká

KAROL CONKÁ: “NUTRA SUA CORAGEM, SEM ELA É DIFÍCIL”

Entrevista

Festival AFROMUSIC Festival AFROMUSIC

Festival AFROMUSIC #2 celebra música preta

Novidade

S.O.M. — Sistema Operacional da Música — Desenvolvido por Mídia NINJA, Fora do Eixo e Hacker Space.

Connect